terça-feira, março 21, 2006

MÃE CELINA COMPLETOU SUA CARREIRA




Izaias Resplandes


Os dias da nossa vida sobem a setenta anos ou, em havendo vigor, a oitenta; nesse caso, o melhor deles é canseira e enfado, porque tudo passa rapidamente e nós voamos” (Sl 90:10).


Meus queridos. Nascer, crescer, constituir família, ter filhos, netos, bisnetos, tataranetos e ir para Deus. Essa não seria uma vida simples. Seria uma vida excepcional. Não são muitos os que tiveram esse privilégio. Graças a Deus, “Mãe Celina” teve essa satisfação. No dia 25 de dezembro de 2005 ela festejou seus 89 anos de vida, cercada pelo carinho de sua parentela, em completa lucidez, pegando os bisnetos no colo, abraçando e sendo abraçada. Foi um dia muito feliz e que ficará em nossa lembrança enquanto nós vivermos, da mesma forma que também guardamos outros momentos felizes que passamos juntos com outros familiares que também já partiram para a eternidade.
Assim é a vida do homem. Ninguém veio ao mundo para viver aqui para sempre. Viemos para cumprir a missão de ser feliz e de fazer os outros felizes.
Esse sempre foi o plano de Deus para o homem. Diz no Gênesis que no sexto dia da criação, Deus fez o homem. Mas entendeu que “não era bom que o homem estivesse só” (2:18). Então fez também a mulher. Em seguida os abençoou e disse: “sede fecundos, multiplicai-vos, enchei a terra.” (1:28) Diz também que “viu Deus tudo quanto fizera, e eis que era muito bom” (1:31). Diz ainda que Deus plantou para o homem cuidar e guardar “um jardim no Éden”, com “toda sorte de árvores agradáveis à vista e boas para alimento” (2:8-9) e deu orientações ao homem de quais árvores ele poderia apenas apreciar e de quais ele poderia comer sem correr o risco de morrer (2:16-17). Percebemos, assim, que desde o início do mundo, Deus queria que o homem fosse feliz, que tivesse sua família, que tivesse um lugar para trabalhar, que tivesse o que comer, enfim, que tivesse tudo o que fosse necessário para que ele vivesse bem. Vó Jorcelina teve os seus dias de glória na Terra, foi feliz no meio daqueles com quem viveu e agora chegou a sua hora de partir, a sua hora de dizer juntamente com o apóstolo Paulo:
Combati o bom combate, completei a carreira, guardei a fé. Já agora a coroa da justiça me está guardada, a qual o Senhor, reto juiz, me dará naquele Dia; e não somente a mim, mas também a todos quantos amam a sua vinda” (2 Tm 4:7-8).
Em nossa vida nos relacionamos com diferentes tipos de pessoas. Muitas delas não fizeram, nem fazem qualquer diferença para nós. Há outras, no entanto, que nos inspiram, que nos estimulam a continuar vivendo cada vez com mais intensidade. Vó Jorcelina, com sua simplicidade, seu jeito humilde e paciente desempenhava o papel da mulher que ensina com seu procedimento e com seu modo de viver. Não era uma mulher de muitas palavras. Falava pouco. Mas dizia muito com seus atos, com seu modo de viver. E a sabedoria é essa: o nosso verdadeiro valor não está naquilo que falamos, mas naquilo que fazemos. Um bom ato vale mais do que todos os discursos vazios e teóricos que possamos realizar. A autoridade não está no falar, mas no praticar.
Embora já debilitada pelas enfermidades da velhice, dificilmente víamos essa mulher desanimada. Se perguntássemos se estava boa, era honesta e incisiva: “não tô muito boa, não”. No entanto, quando era levada para o tratamento estava sempre dizendo que queria voltar para casa. Somente em casa ela se sentia verdadeiramente bem.
Agora, neste dia 21 de março de 2006, ela nos deixa por um breve espaço de tempo e parte para estar com o Senhor da Glória, em casa. Tendo se preparado em tempo oportuno, tornando-se serva de Jesus, Vó Jorcelina vai para o céu tomar posse de uma daquelas moradas que o Senhor foi preparar para os seus discípulos, conforme ele disse, antes de também deixar este mundo:
Não se turbe o vosso coração; credes em Deus, crede também em mim. Não casa de meu Pai há muitas moradas. Se assim não fora, eu vo-lo teria dito. Pois vou preparar-vos lugar” (Jo 14:1-2).
Vovó agora se mudou de vez para a sua nova casa. Para todos nós que conhecemos a Palavra de Deus, isso é uma grande vitória. Quantas pessoas começaram essa corrida da fé e desistiram no meio do caminho. A respeito disso o apóstolo Paulo conversa com eles e pergunta: “Vós corríeis bem; quem vos impediu de continuardes a obedecer a verdade?” (Gl 5:7). Vovó não desistiu. Ela continuou obedecendo a verdade. Quantos outros não ficaram desmaiando de desanimados diante da carreira cristã! O autor de Hebreus registra uma longa lista de exemplos de pessoas que viveram com fé, que não desanimaram, que não desistiram, que continuaram fiéis até o fim e concluiu:
Portanto, também nós, visto que temos a rodear-nos tão grande nuvem de testemunhas, desembaraçando-nos de todo peso e do pecado que tenazmente nos assedia, corramos com perseverança, a carreira que nos está proposta, olhando firmemente para o Autor e Consumador da fé, Jesus, o qual, em troca da alegria que lhe estava proposta, suportou a cruz, não fazendo caso da ignomínia, e está sentado à destra do trono de Deus” (12:1-2).
Irmã Jorcelina está inclusa nessa lista de heróis da fé a partir de hoje, porque foi uma vencedora, perseverando até o fim da vida, fiel ao Senhor. Que ela sirva de exemplo para os suas filhas, sua nora, seus genros, netos, bisnetos, tataranetos e demais parentes e amigos. Sigam as pegadas dela. A todos, ela diz com o salmista Davi: “Entrega o teu caminho ao Senhor, confia nele, e o mais ele fará” (Sl 37:5). Não vejam a morte de nossa irmã como o fim, mas como o começo de uma nova etapa da vida dela. A sua partida certamente será sentida por todos, mas ela se sentiria muito mais valorizada e muito mais amada, se a sua descendência seguisse o seu exemplo de vida como crente em Jesus, porque somente dessa forma é que uma pessoa pode ser completamente feliz. E tendo sido feliz, tenho certeza de que “Mãe Celina” desejava que você também fosse muito feliz.
Essa é a pregação que faço em nome de minha vó.
Que Deus nos abençoe!

___________
D. Jorcelina de Sousa Carrijo, a “Mãe Celina”, nasceu em Mineiros, GO, em 25/12/1916 e faleceu em 21/03/2006, em Primavera do Leste, MT. Deixou uma prole de 8 filhos, 48 netos, 100 bisnetos e 14 tataranetos. Foi sepultada em Santo Antônio do Leste, MT. Izaias Resplandes de Sousa é o seu primeiro neto.

2 comentários:

Mariza Resplandes disse...

Papai, a "vozinha", minha bisa...vou sentir falta, aliás, vamos. Mas sabemos que ela está num lar de glória, muito melhor do que nós aqui, e realmente, cumpriu a sua missão...

Fernando disse...

pai, sentí mto qdo soube, infelizmente nao pude estar com ela, alias com a familia no velório pelos motivos que o senhor mesmo já propoz, mais vou lembrar da biza sempre, provavelmente por ela ser a única biza que eu conheci.