domingo, outubro 05, 2014

O cristão, a cidadania e a política

O cristão, a cidadania e a política

Prof. Izaias Resplandes

Antes de tudo quero definir as três palavras chaves dessa mensagem, para que se tenha clareza daquilo que pretendemos apresentar.

Não há dúvidas que, desde os tempos da igreja neotestamentária do primeiro século, desde que os discípulos de Jesus foram chamados “cristãos”, na cidade síria de Antioquia, no Império Romano, ficou bem entendido que “cristão” é aquele que segue a Jesus (Cf. At 11:26). Leia mais em: http://www.recantodasletras.com.br/mensagens/4987936

sábado, setembro 27, 2014

As gerações de Bruna Moraes

As gerações da Bruna

Izaias Resplandes de Sousa


Família!!! Existe algo mais precioso do que as nossas famílias? Não, não existe!
A família foi uma dádiva de Deus para nós. Foi Ele instituiu a família, ao ver que não era bom o homem Adão que criara viver sozinho e por isso, de uma de suas costelas fez a mulher Eva.
Se pensarmos em Adão e Eva, somos todos descendência deles... Mas isso está muito longe... Então vamos simplificar as nossas raízes às gerações que deixaram como legado para nós, belíssimas imagens fotográficas.
Acredito que Jerônimo Gregório de Sousa é o nosso ancestral mais antigo que já foi fotografado. E sua imagem se sucederá nas milhares de gerações de seus descendentes.


A Brunna Moraes, filha de Luzirene Moraes e de João Bosco de Sousa, teve como avós paternos Belmiro e Maria Sousa (pais de seu pai João Bosco) e como avós maternos Niusa Moraes e Antônio Paes (pais de sua mãe Luzirene), teve como bisavós paternos Jerônimo Gregório de Sousa e Narcisa Carolina de Rezende (pais de Belmiro, pai de João Bosco, seu pai), e José de Sousa e Sebastiana (pais de Maria Sousa, mãe de João Bosco, seu pai) e como bisavós maternos Josias Gomes e Inês Moraes (pais de Niusa, mãe de sua mãe Luzirene), teve como trisavós paternos Jerônimo Gregório de Sousa e Narcisa Carolina de Rezende (pais de Balmiro, pai de João Bosco, seu pai), teve como trisavós maternos TUNICO SOUSA e Maria Cândida de Sousa (pais de Josias, pai de Niusa, mãe de Luzirene, sua mãe), teve como tetravós maternos Jerônimo Gregório de Sousa e Narcisa Carolina de Rezende (pais de TUNICO SOUSA, pai de Josias, pai de Niusa, mãe de Luzirene, sua mãe) e José de Carvalho e Senhorinha da Encarnação (pais de Maria Cândida de Sousa, mãe de Josias, pai de Niusa, mãe de Luzirene, sua mãe)... Que mistura familiar interessante!


Assim querida prima Lu Moraes... Você não precisa misturar as gerações da Bruna, porque elas já estão bem misturadas. Veja o caso de Jerônimo Gregório de Sousa e Narcisa Carolina de Rezende que são ao mesmo tempo seus bisavós paternos e seus bisavós maternos... E veja mais...
Jerônimo Sousa (tetravô materno e bisavô paterno de Bruna) é também irmão de José de Sousa, seu bisavô paterno, pai de Maria Carrijo de Sousa.
Caríssima SOUSA! Sinta orgulho de suas raízes, porque nosso povo sempre foi muito unido e é assim que deve continuar sendo.


Então é isso...
As gerações fotografadas de Bruna não passam da quinta geração, mas como ela não conheceu seu tetravô Jerônimo, porque quando ela nasceu, ele já estava desbravando os sertões celestiais, infelizmente seu registro fotográfico sem montagem, no máximo poderia chegar até a quinta geração (Bruna, Luzirene, Niusa, Josias e TUNICO SOUSA). Com montagem até a sexta-geração.


Mas a Bruna deve se orgulhar também de nós, porque graças a esse resgate fotográfico fantástico que estamos fazendo, seus filhos, netos, bisnetos, trinetos, tetranetos e outros tantos milhares de descendentes netos, poderão ter documentadas as suas raízes genealógicas até a geração de Jerônimo Gregório de Sousa e Narcisa Carolina de Rezende, que são suas raízes fotografadas mais antigas de que se tem notícia.


Ao concluir quero registrar o quanto fiquei feliz com a sua proposta de resgatar as fotos das gerações, porque  graças a esse trabalho, poderemos assegurar que jamais teremos apagado de nossos memoriais e da história dos Sousas e dos tantos braços que abraçamos, o VALOROSO NOME DOS SOUSAS, as raízes que nos trouxeram ao mundo.
Publico esse trabalho, dedicando-o em especial a você, Lu Moraes, minha parente consaguínea em quinto grau e a sua filha, minha parente em sexto grau, parente em sétimo grau de meu filho Fernando Resplandes e em oitavo grau de meu neto Davi Resplandes.


Abraços Resplandescentes Marcelinikenses Tuniquensis!!! E vivam os Sousas “até o dia amanhecer!”. 

sábado, setembro 13, 2014

A responsabilidade social do cristão

Prof. Izaias Resplandes


"Hoje eu estou me sentindo sem importância!". "Cuide de sua vida!". Essas foram as duas frases que mais tiveram impacto sobre mim durante esta semana.  A primeira, eu ouvi de um aluno na escola onde trabalho. A segunda, li no feed de notícias de uma amiga muito especial, no facebook. Ambas atacaram diretamente a minha responsabilidade social e me fizeram lembrar que eu tenho um compromisso pessoal com Deus de estar cuidando de toda a sua criação, principalmente das pessoas mais próximas de mim. Essas frases também me fizeram lembrar da história de Caim, lá no começo do mundo, quando, por despeito matara seu irmão Abel, registrada em Gn 4:3-16.

domingo, setembro 07, 2014

Lou e Eu

Hoje um dia muito especial. Tivemos visitas aqui em casa, na igreja, fizemos vídeo-família, ouvimos músicas clássicas da mpb.
 Níltom César...
A namorada que sonhei. Gosto  dessa música.
 "Receba as flores que lhe dou! Em e cada , um beijo meu... Querida, mil vezes querida.... Deusa na terra nascida... 

A namorada que sonhei!"
Tem gente que não gosta. 


Eu sou apaixonado: por flores, música romântica e pelo meu tesouro maior nesta terra, a minha "esmeralda goiana" por quem em meu coração crepita em todos os dias, do amor a eterna chama. 
Lourdes, minha amada, essas flores do nosso aricá são lindas, as do bacuri, maravilhosas; mas a beleza delas diante da sua, fica ofuscada, porque você é a mais linda das flores, a mais preciosa das pedras, a minha mais querida entre as mulheres. 
Eu te amo! Que Deus te cubra de forças e de energia e de paciência e de muito amor para me aguentar, para que você e eu possamos juntos desfrutar de grandes e maravilhosos dias, até o dia em que nossa missão neste mundo terminar. Beijos!



segunda-feira, setembro 01, 2014

O tempo das queimadas

 “O tempo das queimadas”
Prof. Izaias Resplandes
O Brasil é um país de contrastes. Da mesma forma que existem lindas paisagens a serem vistas, existem outras tantas, horríveis de se ver, como as queimadas, por exemplo. Elas representam cenas muito tristes! Marcam o fim das inúmeras vidas que se perdem, tanto animais, quanto vegetais. Aumentam também a força destrutiva das ventanias, pois destroem as árvores que atuam como obstáculos naturais no controle dos ventos. Assim, além do aumento da temperatura que traz um calor sufocante, também somos frequentemente bombardeados por vendavais carregados de poeira, cinza e sujeira. E todo ano é a mesma coisa.
Quando chega o inverno, aumentando a sequidão no Brasil, começam também as queimadas. Essa semana eu ouvi de uma colega professora, que “há pessoas que não podem ver uma folha seca...”. E deve ser assim mesmo, pois o que se vê é fogo e fumaça por toda parte.


Na verdade, o período intensivo do fogo já começa no mês de junho, com as “fogueiras de São João”, que acontecem principalmente no Nordeste e Centro-Oeste brasileiros.
Aqui em Poxoréu, MT, onde vivo, “as fogueiras de São João”, no mês de junho, se espalham pelas ruas, em muitas casas. Algumas delas, inclusive, são marcos dos festejos oficiais da cidade. E então, as pessoas ficam ao redor dessas fogueiras. Brincam de pular o fogo. Alguns mais corajosos chegam a andar sobre as brasas. É a síndrome do fogo, que contamina muitos brasileiros nessa época do ano. Não é por acaso que também acontecem muitos acidentes envolvendo atividades com fogo. E no caso de Poxoréu, por exemplo, o povo já deveria estar mais escaldado, já que, em outubro de 1927, a povoação de São Pedro, onde teve origem o desbravamento dessa região e que já contava com mais de três mil habitantes, foi totalmente destruída por um grande incêndio. “Tudo virou cinzas”, como escreveu o meu confrade da União Poxorense de Escritores (UPE), o prof. João de Souza, em seu artigo intitulado “O incêndio de São Pedro”.


Já em agosto, ainda que seja o tempo das lindas floradas dos ipês e de outras espécies que florescem lindamente nessa época do ano, o mês é também o tempo das queimadas... Como as pessoas gostar de colocar fogo em tudo!
O Brasil está ardendo em fogo! E quando vejo todo esse fogaréu, eu me recordo do que a Bíblia diz sobre o dia do juízo... Me recordo de que o apóstolo Pedro, em 2 Pe 3:7  diz que “os céus e a terra que agora existem, pela mesma palavra se reservam como tesouro, e se guardam para o fogo, até o dia do juízo, e da perdição dos homens ímpios”. E me lembro também das palavras registradas em Mateus 13:40, quando o próprio  Senhor Jesus diz que: “Assim como o joio é colhido e queimado no fogo, assim será na consumação deste mundo”. Com certeza, o juízo virá!


Meu queridos....
Toda a Escritura é divinamente inspirada, e proveitosa para ensinar, para redargüir, para corrigir, para instruir em justiça (2 Timóteo 3:16).
Porque a profecia nunca foi produzida por vontade de homem algum, mas os homens santos de Deus falaram inspirados pelo Espírito Santo (2 Pe 1:21).
A Bíblia é um registro de homens que escreveram sob a inspiração de Deus (2 Tm 3:16; 2 Pe 1:21) e sábio é aquele que faz dela uma “lâmpada para os seus pés” e uma “luz para os seus caminhos” (Sl 119:105). Ela nos diz em vários textos, por interpretação direta, que as coisas terrenas são sombras das coisas espirituais (Cl 2:17, Hb 8:5; 10:1).
Portanto, ninguém vos julgue pelo comer, ou pelo beber, ou por causa dos dias de festa, ou da lua nova, ou dos sábados, Que são sombras das coisas futuras, mas o corpo é de Cristo (Colossenses 2:16-17)
Não resta dúvida de que nós temos que aprender alguma coisa com esse comportamento humano invernal, de todo ano sair queimando aquilo que encontra pela frente.



Eu gosto de estudar a Bíblia, mas principalmente de relacioná-la com a Natureza, com as coisas que estão criadas, pelo fato dela própria me dizer que tudo o que de Deus se pode conhecer, Ele o tem revelado nas coisas que estão criadas (Rm 1:19-20).
Porquanto o que de Deus se pode conhecer neles se manifesta, porque Deus lho manifestou. Porque as suas coisas invisíveis, desde a criação do mundo, tanto o seu eterno poder, como a sua divindade, se entendem, e claramente se vêem pelas coisas que estão criadas, para que eles fiquem inescusáveis (Romanos 1:19-20)
E então, dentre as coisas que já tenho aprendido, uma delas é que tanto Deus, quanto o fogo não estão para brincadeira. A Bíblia é clara em relação a isso:
Hb 10:31 - Terrível coisa é cair nas mãos do Deus vivo!
Gl 6:7 - Não se deixem enganar: de Deus não se zomba. Pois o que o homem semear, isso também colherá.
Meus queridos... Não é hora de destruir. Embainhem todas as suas espadas, pois o que fere com a espada, com ela será ferido. Guardem os seus archotes! Nós precisamos da Terra para viver e ela também precisa de nós para continuar sendo um bom lugar para nós vivermos. É certo que houve um tempo em que a sabedoria popular recomendava a limpeza dos campos através do fogo. Mas hoje os tempos são outros. Já temos poluição demais. Vamos mudar nossos hábitos. Ao invés de queimarmos as folhas secas, vamos enterrá-las. Assim, além de evitarmos a fumaça e o aumento da temperatura, ainda estaremos contribuindo para melhorar a fertilidade do solo. A Terra é o nosso lar, é a nossa casa. Sendo criada por Deus, ela nos foi entregue para ser por nós administrada. Portanto, precisamos cuidar bem dela.



Vamos fazer conforme diz a Palavra de Deus em 1 Pe 4:10. “Cada um administre aos outros o dom como o recebeu, como bons despenseiros da multiforme graça de Deus”.
Chega de fogaréu! Chega de fumaça! A Terra está sofrendo diante desses pecados cometidos por nós contra ela. Rm 8:22 nos diz  “que toda a criação geme e está juntamente com dores de parto até agora”.

Parece que nós estamos querendo antecipar o dia do Juízo de Deus, quando Ele, pelo seu fogo consumidor haverá de fazer a purificação de sua criação, produzindo novos céus e nova terra (Is 65:17; Ap 21:1; 2 Pe 3:13).
Mas o dia do Senhor virá como o ladrão de noite; no qual os céus passarão com grande estrondo, e os elementos, ardendo, se desfarão, e a terra, e as obras que nela há, se queimarão (2 Pedro 3:10).
Porque, eis que eu crio novos céus e nova terra; e não haverá mais lembrança das coisas passadas, nem mais se recordarão (Isaías 65:17).
E vi um novo céu, e uma nova terra. Porque já o primeiro céu e a primeira terra passaram, e o mar já não existe (Apocalipse 21:1).
Ainda que este dia esteja próximo, nenhum de nós sabe quando isso acontecerá. Esse é um mistério que o Pai guardou para si (Mc 13:32).
Mas daquele dia e hora ninguém sabe, nem os anjos que estão no céu, nem o Filho, senão o Pai (Marcos 13:32). 
Mas, com certeza, uma das coisas que faz Deus deixar de lado a sua misericórdia e agir com justiça é o aumento das nossas transgressões. E nós estamos transgredindo as ordens do Criador, quando ao invés de cuidar e zelar da sua criação, como bons administradores dos talentos dele recebidos, nós estamos destruindo as sementes, os animais e a natureza de um modo geral. Ao invés de estimularmos a misericórdia de Deus, nós estamos apressando o dia em que fará justiça através de seu fogo consumidor.

Mas, chegando também o que recebera um talento, disse: Senhor, eu conhecia-te, que és um homem duro, que ceifas onde não semeaste e ajuntas onde não espalhaste; E, atemorizado, escondi na terra o teu talento; aqui tens o que é teu. Respondendo, porém, o seu senhor, disse-lhe: Mau e negligente servo; sabias que ceifo onde não semeei e ajunto onde não espalhei? Devias então ter dado o meu dinheiro aos banqueiros e, quando eu viesse, receberia o meu com os juros. Tirai-lhe pois o talento, e dai-o ao que tem os dez talentos. Porque a qualquer que tiver será dado, e terá em abundância; mas ao que não tiver até o que tem ser-lhe-á tirado. Lançai, pois, o servo inútil nas trevas exteriores; ali haverá pranto e ranger de dentes (Mateus 25:24-30)

Queridos leitores...
Não queiramos que Deus seja rápido em sua Justiça; antes, queiramos que ele seja longânimo em sua misericórdia. Fazer justiça é dar a cada um o que é lhe é devido. PENSEMOS em nossa vida diante dos homens.
Nós temos sido justos em nossos compromissos? Temos pago as nossas contas em dia? Temos sido fiel no pagamento dos impostos? Temos exigido a nota fiscal em todas as nossas compras? Antes de comprar algo, nós temos procurado saber sobre a procedência do produto? Na questão da informática, por exemplo: ninguém tem usado algum software sem autorização do criador? ninguém tem baixado alguma música sem antes pagar pelos direitos autorais de sua reprodução pública?
Eu tenho observado que nós somos muito apressados em julgar os outros. E nem sempre seguimos a orientação da Palavra de Deus. Aceitamos como natural fazermos coisas que, embora erradas, não chamam a atenção de ninguém. Todavia, julgamos ser merecedores de severo castigo outros que fazem as mesmas coisas de forma escancarada. O apóstolo Paulo nos diz em Romanos 14:12 -Bem-aventurado aquele que não se condena a si mesmo naquilo que aprova.

Temos que tomar muito cuidado em nossa sede de justiça. Deus tem sido longânimo para com a humanidade.
Em 2 Pedro 3:9, o apóstolo Pedro registra que o “o Senhor não retarda a sua promessa, ainda que alguns a têm por tardia; mas é longânimo para conosco, não querendo que alguns se percam, senão que todos venham a arrepender-se”. Deus é longânimo e deseja que nós  também o sejamos. Os filhos devem imitar o pai, aprendendo com ele o modo correto de proceder. PERDOAR sempre será a melhor atitude e JULGAR sempre será um grande risco, porque aquele que perdoa, o faz porque tem um bom coração, mas aquele que condena sempre corre o risco de errar.
Embora uma coisa certa possa se tornar errada, dependendo da forma como for praticada, o mesmo não acontece com uma coisa errada, a qual sempre serra errada.

Aquele que pratica em oculto certas coisas e condena os que praticam as mesmas coisas à vista de todos é um hipócrita. E a hipocrisia foi um dos pecados mais duramente criticados por Jesus, conforme se vê nos registros do Novo Testamento, como por exemplo, no capítulo 23 do Evangelho de Mateus. Ali estão registrados diversos “ais” de Jesus para os hipócritas. E também não são brandas as palavras de juízo que Ele profere contra esse tipo de gente, que, exteriormente, parecem justas aos homens, mas interiormente, estão cheias de hipocrisia e de iniquidade. Ele diz: “Sofrereis mais rigoroso juízo!”; “Serpentes, raça de víboras! Como escapareis da condenação do inferno?” e por último: Que sobre vós caia todo o sangue justo, que foi derramado sobre a terra”.
Paulo nos chama a atenção com várias declarações nesse sentido, como por exemplo, em Rm 2:21 - Tu, pois, que ensinas a outro, não te ensinas a ti mesmo? Tu, que pregas que não se deve furtar, furtas?
E complementa em Ef 4:28 - Aquele que furtava, não furte mais; antes trabalhe, fazendo com as mãos o que é bom, para que tenha o que repartir com o que tiver necessidade.

Aprendamos as lições bíblicas para praticar e não para condenar os outros. Jesus diz em Jo 13:15 - Eu vos dei o exemplo, para que, como eu vos fiz, façais vós também.
É assim que devemos agir em todas as situações: perdoando e sendo misericordiosos.
Quando orarmos, peçamos o perdão e a misericórdia de Deus por nós e por aqueles que consideramos pessoas erradas e ruins, para que sejam transformados em pessoas certas e boas. E de nossa parte, procuremos fazer as coisas certas, fazendo o bem a todos. Deixemos que Deus se preocupe com a justiça.

Antes de encerrar eu quero lembrar de que, certa feita, quando Jesus ia para Jerusalém, ele enviou alguns de seus discípulos à frente para que lhes preparassem a pousada. E eles entraram em uma aldeia de samaritanos, onde não os receberam. “E os seus discípulos, Tiago e João, vendo isto, disseram: Senhor, queres que digamos que desça fogo do céu e os consuma, como Elias também fez? Voltando-se, porém, Jesus os repreendeu, e disse: Vós não sabeis de que espírito sois. Porque o Filho do homem não veio para destruir as almas dos homens, mas para salvá-las”. Essa história está registrada em Lucas 9:52-56.
Meus queridos...
Nós estamos vivendo o tempo da graça de Deus, mas se continuarmos com esse espírito de destruição aumentando cada vez mais, com certeza nós estaremos reduzindo o tempo da misericórdia e do perdão divino e apressando o dia de seu juízo final e do castigo eterno para os transgressores.

Portanto, quero clamar a todos para que mudem suas práticas em relação à Terra. Aquele que queimava, não queime mais. Aquele destruía, não destrua mais e aquele que não cuidava, que passe a cuidar mais. Agindo assim, nós e toda a Terra agradecemos com muito carinho. Um forte abraço e até uma nova oportunidade.
Que Deus nos abençoe!

sábado, agosto 30, 2014

Chutando o balde - um conselho de primo.

Antes de tudo veja se o balde está vazio. Nós estamos vivendo tempos difíceis em muitas partes do mundo e não podemos "derramar o leite". Se estiver cheio, antes de tudo tome as providências para embalar o produto e faça uma doação a alguém que precisa. De forma alguma desperdice o "leite" do balde. Agora, depois de esvaziá-lo, calce primeiro um tênis confortável, com meias grossas para não correr o risco de machucar o pé. Sei que você deve estar sabendo das dificuldades para se conseguir um tratamento ortopédico nessa cidade... Por último tome algumas providências em relação ao balde, para ver se não estraga essa utilidade tão útil em dias como esses. Ah, prima Neide... Você é dona de casa, mãe de família... Você sabe das dificuldades que se enfrenta hoje em dia para ter em casa um produto do tipo "bom bril" como o velho e bom balde 1001 utilidades. Assim, planeje bem o chute e o lugar da aterrissagem. Bom seria, se ele pudesse cair na piscina, porque provavelmente não amassaria na queda e quando você for resgatá-lo já estará mais ou menos limpo. Bem, eu tinha certeza de que essas instruções teriam servido muito aos seus propósitos se elas tivessem sido transmitidas bem cedo, antes de você se levantar. Infelizmente, somente agora, já próximo do fim do dia, tomei conhecimento de sua decisão matutina de chutar o balde. Todavia, pode ser que você amanheça amanhã com propósitos iguais, então esteja preparada ao deitar. Verifique se o balde está cheio, embale o leite, providencie as meias grossas, o tênis confortável e, se possível, a piscina... E então, bom chute, PRIMA!!!!!

segunda-feira, agosto 25, 2014

A existência de Deus

Eu já fiz muitas coisas erradas nessa vida, mas nunca duvidei da existência de Deus. Desde criança eu aprendi que Deus existe. Para mim, portanto, isso sempre foi fato e ponto. Infelizmente esse meu ponto não era um ponto final, posto que aqui esteja, no dia hoje, refletindo sobre esse assunto, o qual tanta gente já deve ter estudado e analisado até aos mínimos detalhes.
E por que isso agora?
A questão é simples. Numa de minhas aulas de Matemática um aluno deu uma gargalhada
tão alta que chamou a atenção de todos nós que estávamos na sala. Ficamos parados esperando que ele se explicasse. Então ele disse quando lhe perguntei o que estava acontecendo: “Um colega acaba de escrever aqui no ‘WhatsApp’ que ‘Deus está em toda parte’; que bobão!”
WhatsApp Messenger é um aplicativo de mensagens que permite trocar mensagens pelo celular sem pagar por SMS (Wikipédia).
SMS significa “Serviço de mensagens curtas”.  Vem doinglês ‘Short Message Service’.  É um serviço disponível em telefones celulares digitais que permite o envio de mensagens curtas entre estes equipamentos e entre outros dispositivos de mão, e até entre telefones fixos,  popularmente conhecidas como mensagens de texto (Wikipédia).
Aquela fala foi um tapa na minha cara. ‘Mas isso não é
verdade?’ - perguntei-lhe. E sua resposta: ‘É claro que não, professor! Deus não existe!’.
Eu fiquei sem ação por alguns minutos, principalmente porque esse aluno era filho de pais crentes em Deus, e atuantes em igrejas tradicionais de Poxoréu. Pensei: realmente, os inimigos de um homem são os de sua própria casa.
E então comecei a refletir sobre esse assunto. Se existe dúvida, nós temos que perquirir, temos que investigar.
“Porventura fixarás os teus olhos naquilo que não é nada? Porque certamente criará asas e voará ao céu como a águia”. Provérbios 23:5
Na conversa que tive com aquele adolescente e com outro que aderiu à conversa na mesma condição do primeiro, perguntei sobre suas origens e me disseram que eram produtos da evolução.
Perguntei se era da ‘evolução do nada’ e me disseram que não; que se originaram a partir do big bang, a grande explosão, da qual, em tese, teria surgido o universo.
Muito bem... Se surgiram da pequena bola de matéria tão condensada que explodiu em milhares de fragmentos, evoluindo estes para o que hoje existe, pergunto apenas o seguinte: essa bola de matéria é eterna? Ela sempre existiu? Ou ela também foi criada por alguém?
Se a matéria sempre existiu, então seu deus seria a matéria, já que você entende que foi criado por uma evolução natural dela. Se ela foi criada, quem a criou? Para mim, que o eterno existe é fato indiscutível, posto que não consigo explicar a origem de qualquer coisa a partir do nada. Assim, há que ter uma origem eterna. A essa eu chamo Deus.
Bem, mas eram perguntas sobre perguntas. De fato, o aposto Paulo está certo quando diz que “há muitas espécies de vozes no mundo, e nenhuma delas é sem significação”. 1 Coríntios 14:10.
Havia o que aprender naquela conversa e também o que
ensinar. Isso sem falar que eu era um professor e ele era um aluno. Então prosseguimos na conversa, sem exaltar os ânimos.
E assim ele me arguiu: Professor, se Deus existe, porque acontecem tantas coisas ruins?
Isso já era mais fácil de responder e disse-lhe que Deus nos criou com livre arbítrio, para que possamos decidir sobre o que desejamos fazer de nossa vida.
Os pais dizem aos seus filhos menores o que devem ou não fazer e estes obedecem até o dia em que se acham crescidos o suficiente para tomarem as suas próprias decisões.
Assim também foi na relação de Deus com o homem. No princípio, quando havia somente Deus e nossos primeiros pais, Adão e Eva, que moravam no Jardim do Éden, havia uma ordem do Pai para que não comessem do fruto da árvore do conhecimento do bem e do mal, porque no dia em que dela comessem, certamente morreriam.
Era uma ordem de um Pai para suas crianças. E certamente 
elas obedeceram a essa ordem por muitos e muitos anos, até o dia em que entenderam ter crescido o suficiente para arcarem com as consequências. E então tomaram sua própria decisão. E comeram do fruto até então proibido e muito sofreram com as consequências, porque ainda não estavam preparados.
Por questão de segurança, da segurança deles, que poderiam então ousar enfrentar o próprio Deus e serem destruídos, eles foram expulsos do Jardim do Éden. Adão teve que trabalhar a terra para dela tirar o sustento. A mulher passou a ter filhos com dores e a própria Terra se encheu de pragas e ervas daninhas perniciosas.
Diz a Bíblia: Sabemos que toda a criação geme e está juntamente com dores de parto até agora. E não só ela, mas nós mesmos, que temos as primícias do Espírito, também gememos em nós mesmos, esperando a adoção, a saber, a redenção do nosso corpo. Rm 8:22-23
Sim, Deus nos criou, disse aos meus alunos. Mas o que
acontece conosco não é vontade de Deus. É verdade o que diz o cantor pantaneiro “Almir Sater” em sua música intitulada “Tocando em Frente”. “Cada um de nós compõe a sua história. Cada um de nós carrega o dom de ser capaz e ser feliz!”
Nós somos os únicos responsáveis pelo que acontece conosco.
Ninguém, sendo tentado, diga: De Deus sou tentado; porque Deus não pode ser tentado pelo mal, e a ninguém tenta. Tiago 1:13
Se o homem sofre, sofre porque escolheu um caminho de sofrimento. Mas a vida de um homem pode ser diferente, conforme sejam melhores as suas escolhas. Deus não é tirano. Ele permite que nós façamos as nossas escolhas.
Mas não é difícil crer que ele existe. A Bíblia relata que até os demônios creem, como por exemplo, na existência de um só Deus. Tiago relata isso em 2:19.
“Tu crês que há um só Deus; fazes bem. Também os
demônios o crêem, e estremecem”.
Mas é preciso ter fé para crer além desse ponto, para crer que Deus não apenas existe, mas que também deseja o nosso bem e está pronto para ficar do nosso lado, se nós desejarmos ficar do lado dele também.
Hebreus 11:6 nos ensinam que “sem fé é impossível agradar-lhe; porque é necessário que aquele que se aproxima de Deus creia que ele existe, e que é galardoador dos que o buscam”.
A fé é a crença nas possibilidades. Eu tenho fé em Deus, de que Ele vai nos ajudar a tirar todas as nossas dúvidas sobre tudo o que desejamos saber, inclusive sobre a própria existência dele.
Ora, a fé é o firme fundamento das coisas que se esperam, e a prova das coisas que se não vêem. Hebreus 11:1
E esse mesmo Deus que nós estamos discutindo a existência e que não duvido que exista, também é aquele que pode aumentar a nossa fé e a nossa sabedoria.  Tiago nos ensina que: “Se algum de vós tem falta de sabedoria, peça-a a Deus, que a todos dá liberalmente, e o não lança em rosto, e ser-lhe-á dada. Peça-a, porém, com fé, em nada duvidando; porque o que duvida é semelhante à onda do mar, que é levada pelo vento, e lançada de uma para outra parte”.Tiago 1:5-6
Mas a aula terminou e eu tive que sair. E então passei o final de semana seguinte pensando nesse assunto, enquanto viajava de Poxoréu, MT, até a cidade de Barretos, SP, onde fui assistir ao matrimônio de um sobrinho e depois na volta para casa.
Quanta coisa aprendi durante essa longa jornada! Deus foi falando comigo através das páginas de seu grande livro “A Natureza”. Ele foi me mostrando a harmonia da sua criação.
Ele me encantou com lindos ipês coloridos de amarelo, de roxo, de branco e lilás. Mostrou-me outras plantas lindamente floridas. E ele me mostrou essas lindas floradas tanto em Mato Grosso, como em Goiás, em Minas Gerais, em São Paulo e em Mato Grosso do Sul. E eu também ouvi no Jornal “Bom Dia, Brasil”, da Rede Globo de Televisão que os ipês estão floridos por toda parte, nesta época do ano.
Eu me encantei com as águas dos grandes rios que atravessei
como o Rio Paranaíba, na divisa de Goiás com Minas Gerais e o Rio Grande, na divisa de São Paulo com Minas Gerais. Eu vi uma ponte espetacular sobre o Rio Paranaíba, próximo à cidade de Paranaíba, MS. Aquela ponte é uma grande obra do homem. E eu sei que ela nem chega perto de outras obras, que são consideradas como as maravilhas do mundo. Mas para mim, já era o suficiente para entender que somente alguém muito inteligente poderia criar outro alguém com inteligência capaz de fazer essas construções. Isso não é obra do acaso. Deus está por traz dessas construções magníficas, porque foi ele que nos criou com tanta capacidade. A capacidade que temos nos foi dada pelo grande Arquiteto e Criador do Universo, Deus Pai.
Em Barretos eu vi um vaqueiro metálico de 27 metros de
altura e muitas das belas descobertas do homem brasileiro que durante muito tempo ocupou o centro de nossas vidas, como por exemplo, o carro de bois.
Ah, meus queridos! Meu pai foi carreiro. E sempre que vejo um carro de bois eu me recordo de meu pai, que sofria trabalhando com meus irmãos mais novos nas lidas dos carretos, lá no pequeno município de Torixoréu onde eu nasci, para dar condições, para que eu pudesse ficar estudando em Alto Araguaia, MT.
Eu me emociono muito quando trago essas lembranças. E então pergunto: Por que pessoas tão boas como o meu pai e meus irmãos foram colocados em minha vida, para me amarem e cuidarem de mim? Por que existem tantas e belíssimas paisagens nesta Terra para nos encherem os olhos de alegria?
Isso não é obra do acaso! A criação é resultado de uma mente muito inteligente! Em todos os lugares, brotam ipês, cujas floradas podem ser distintas e individualizadas, mas em todas elas nós encontramos um único padrão de existência. Cada semente de ipê traz em si o DNA do Ipê que nos permite reconstituir essa árvore. Cada ser vivo da natureza, inclusive nós, trazemos a essência da inteligência de Deus em todo o nosso ser, até mesmo em um simples fio de cabelo.
Isso não é obra do acaso. O acaso não é inteligente. Os ventos
sopram para qualquer lado. A ventania pode ser obra do acaso, mas a organização de todas as células, de todos os átomos e de toda a criação não tem condições de ser obra do acaso.
Eu posso não ver o Deus que eu gostaria de ver, mas pela minha fé e pelos meus olhos, eu vejo Deus por toda parte. Vejo um Deus bom, um Deus amoroso, um Deus misericordioso e que se preocupa comigo. Começo a vê-lo em mim mesmo, depois em meus pais e familiares que se importam comigo. Há muita gente no mundo que nem sabe da minha existência e que não se importam se eu existo. Por que meus familiares se importam? Por que muitas pessoas próximas de mim se importam comigo?
A Bíblia relata uma conversa de Deus com Caim, que havia acabado de matar a seu irmão Abel:
E disse o Senhor a Caim: Onde está Abel, teu irmão? E ele disse: Não sei; sou eu guardador do meu irmão? 
Essa é a resposta do mundo: cuida da sua vida, deixe que eu
cuide da minha. Me deixa em paz! Ninguém quer se importar. Mas Deus colocou dentro de nós sua essência de bondade e de amor de uns para com os outros. E é essa essência divina em nós, que nos faz gostar e até sofrer por alguém, se for o caso. Essa é mais uma das evidências da existência de Deus.
Meus queridos... Não tenho dúvidas em dizer que tenho grande amor por minha família, por meus irmãos, meus filhos, minha esposa, meu neto e por todos os demais com quem convivo. Não tenho dúvidas em dizer que sou capaz de fazer certos sacrifícios por causa deles. Para mim, isso é amor. Amor que foi colocado em mim por Deus e não pelo acaso evolutivo de sua criação.
Nós o amamos a ele porque [Deus] nos amou primeiro. 1 João 4:19
Eu creio nisso! Eu vejo assim! E desafio você a crer e a ver também. E então você não terá dúvidas da existência de Deus.
E ao encerrar quero dizer que tudo o que de Deus se pode
conhecer, Ele mesmo o revelou através das coisas que são criadas.
Você quer ver Deus? Você quer sentir Deus? Você quer apreciar a grandeza, a beleza e a majestade de Deus? Então abra os olhos.
Deus não está longe de você. Ele está dentro de você e você está dentro dele. Deus está em nós e nós estamos nele. “Porque nele vivemos, e nos movemos, e existimos; como também alguns dos vossos poetas disseram: Pois somos também sua geração”. Atos 17:28.

Que Deus nos abençoe e nos abra os olhos do coração para vermos o que Ele deseja nos mostrar.