sábado, abril 24, 2010

O Hoje e o Amanhã

Monjolo, Pousada Boa Fé, Gal. Carneiro, MT.


Nem tudo é do jeito que nós pensamos. É importante ler, estudar, analisar, perguntar. Às vezes nós seremos surpreendidos com os resultados. A precipitação nas conclusões pode apenas nos levar a um sofrimento desnecessário. O amanhã trará respostas mais precisas. De forma que não há necessidade de ficarmos correndo atrás dos problemas futuros, pensando que eles vão surgir. O melhor mesmo é nos preocupar apenas com o hoje. Os problemas do HOJE já são muitos e, com certeza, "basta a cada dia o seu próprio mal".


Se temos que pensar no AMANHÃ, então pensemos que ele será melhor do que o HOJE, que nós realizaremos os nossos sonhos e tornaremos os nossos projetos em realidade. Pensemos que Deus estará no comando de tudo e que nada mais venha dar errado.

Bem-aventurado o homem que não anda segundo o conselho dos ímpios, nem se detém no caminho dos pecadores, nem se assenta na roda dos escarnecedores. Antes tem o seu prazer na lei do Senhor e na sua lei medita de dia e de noite. Ele será como árvore plantada junto a ribeiro de águas e que no devido tempo dá o seu fruto (Sl 1, fragmento).

Leia mais em: http://recantodasletras.uol.com.br/mensagensreligiosas/2217191

quarta-feira, abril 21, 2010

Recado para Gláucia e Isângela




Queridas sobrinhas...




A vida é um presente de Deus para que nós desfrutemos da melhor forma possível. O desafio de cada momento consiste em retirar dele o melhor que ele pode oferecer. Assim fazendo, não deixaremos de viver nada daquilo que era possível. Graças a Deus pela nossa vida, desde que viemos ao mundo, até o nosso último instante; e graças a ele também pela vida que ainda possa nos dar. E em tudo, louvado seja o seu nome, porque Ele é bom e a sua misericórdia dura para sempre.

sábado, abril 17, 2010

Vida com intensidade e qualidade


A vida é o nosso maior tesouro. Devemos cuidar bem dela. Viver é o maior benefício que uma pessoa pode ter. O como se vive é importante, mas não é o mais importante; o melhor de tudo é o viver.


Cachoeira do Lucas, onde passamos uma tarde bem legal.

Estando vivo nós poderemos lutar por um viver melhor. Morto, acabou a esperança nesse mundo. Para esse tempo, só mesmo nossa fé para nos fazer acreditar que a vida também continua depois da morte e que pode ser ainda melhor do que a vida que levamos hoje. Mas há muitos que pensam nessa vida eterna como uma utopia. E se ela realmente for um sonho inatingível? Bem, se trabalharmos com essa hipótese, então nós teremos que viver o hoje com bastante intensidade. Mas e se essa hipótese estiver errada e houver mesmo um amanhã além da morte? Isso é uma nova hipótese. E desse modo, se também a levarmos em consideração, então deveremos sintetizar a nossa vida mais ou menos assim:

Devemos viver o hoje como se fôssemos morrer amanhã; e lutar pelo viver melhor, como se fôssemos viver eternamente.

Aí, ao mesmo tempo em que vivemos com intensidade, também estaremos lutando para que o nosso viver seja cada dia com mais qualidade.

sexta-feira, abril 16, 2010

Festa em Poxoréu

A família Resplandes comemorou neste 15 de abril o aniversário de seu caçula, o jovem Ricardo Resplandes. Na ocasião, reuniram-se os familiares de Poxoréu e Primavera do Leste.

O encontro teve início com a cantoria dos "parabéns pra você".

Depois, já melhor acomodados, os irmãos neotestamentários fizeram um culto de louvor em agradecimento pela vida que Deus deu ao Ricardo nestes últimos dias. Após os cânticos, os próprios visitantes ofereceram bolos, tortas e refrigerantes a todos os presentes.

Foi um lindo encontro de amor.

Nas orações, os irmãos agradeceram pela saúde de Ricardo e também pediram a misericórdia de Deus para outros irmãos doentes, em especial para o missionário Isaías da Silva Almeida, que se encontra hospitalizado no Hospital Universitário em Campo Grande, MS, após ter se submetido a uma cirurgia de próstata.

Que Deus abençoe a todas as famílias e que nós possamos a cada dia aprender a dar mais valor a elas. É uma maravilha SER e TER uma família.

quarta-feira, abril 14, 2010

Feliz aniversário, Ricardo!

Querido Ricardo.
Cada dia de nossa vida é motivo para muita comemoração.

Viver é algo maravilhoso e que não se compara a nada desse mundo.

Desde o seu nascimento, a nossa alegria tem sido plena.

Você nos completou a felicidade.

Dessa forma, ter a oportunidade de te falar, te cumprimentar e te abraçar no dia 15 de abril de cada ano é o maior acontecimento de nossa família.

Nós te amamos muito e neste ano estamos muito mais felizes do que em todos os outros, porque Deus fez de sua vida um grande momento nas nossas vidas.

Feliz aniversário!

Beijos e abraços do papai, da mamãe e dos seus manos Fernando e Mariza.

domingo, abril 11, 2010

Ricardo: De volta a Poxoréu



Onze de abril de 2010. Chegamos em Poxoréu hoje à tarde, trazendo nosso garoto Ricardo Resplandes de volta para casa. Fomos recebido por nossa filha Mariza Resplandes e por um grupo de irmãos neotestamentários de Rondonópolis, liderados pelos missionários Zigomar e Elaine Silva, representantes da UMNT - União Missionária Neotestamentária e pelos irmãos Victor e Esther e Altivo e Mathilde, além das crianças Ana Elise, Thiago e Eliézer e da irmã Márcia Lomeu. Os missionários trouxeram uma faixa de boas-vindas, com a frase: "Nós o amamos".
Ricardo ficou todo feliz.
Logo depois recebemos os notáveis confrades upeninos da UPE - União Poxorense de Escritores: Prof. Luís Carlos Ferreira e sua esposa Olga; e, Prof. Gaudêncio Filho Rosa de Amorim, sua esposa Luzineth e seu filho Gaudêncio Júnior.
Apesar de cansado da viagem, Ricardo fez questão de ir à Igreja Neotestamentária, onde foi alegremente recebido pelos irmãos. Abraços, orações e cânticos. Lourdes e eu, os pais do Ricardo, sentimos muito felizes em poder experimentar a verdadeira alegria e satisfação dos irmãos e amigos, em nosso retorno a Poxoréu.
Abraçando a vocês, esperamos que esse abraço seja recebido por todos os que participaram até aqui dessa nossa maratona pela vida.
Viver é algo maravilhoso. Ser feliz é o máximo da existência. Como diz o cantor Gonzaguinha é preciso "viver e não ter a vergonha de ser feliz".
A vida é um dom de Deus. Obrigado a todos.
Prof. Izaias Resplandes

segunda-feira, abril 05, 2010

A medalha de ouro

Ricardo e alguns familiares, na casa de Tia Dalva


Goiânia, 05 de abril de 2010.



Uma maratona olímpica tem 42.195 metros. Pouco mais de 42 quilômetros.

Estamos encerrando a nossa maratona pela vida de Ricardo Resplandes. Inúmeras pessoas participaram dessa corrida, apoiando o único competidor. Ele precisou de água para não desidratar e quando passava pelas diversas cidades, em seu percurso, ele recebeu muitos copos de água fria. Várias pessoas se esforçaram por saciá-lo.

E quem der a beber, ainda que seja um copo de água fria, a um destes pequeninos, por ser este meu discípulo, em verdade vos digo que de modo algum perderá o seu galardão (MT 1042).

Ele precisou de incentivos quando estava desanimado, achando que não ia conseguir. E recebeu mensagens de apoio de todos os lados: no Orkut, no MSN, por e-mail, por telefone e pessoalmente.

O amor e a fraternidade foram maiores do que as denominações religiosas. Irmãos são aqueles que se preocupam conosco em nossas agonias, em nossas dificuldades. São aqueles que nos ajudam a carregar a nossa pesada cruz.

Ao saírem, encontraram um cireneu, chamado Simão, a quem obrigaram a carregar-lhe a cruz (Mt 27:32). Levai as cargas uns dos outros e, assim, cumprireis a lei de Cristo (Gl 6:2).

Encontramos muitos cireneus em nosso caminho, os quais até agora estão nos ajudando com o nosso fardo. As pessoas queriam ajudar-nos. Não queriam saber se éramos desta ou daquela igreja ou religião. Elas queriam ser o nosso próximo, não se incomodando se nós éramos judeus ou samaritanos. Simplesmente queriam ajudar-nos. Elas foram tocadas por Deus, foram instrumentos divinos para nos socorrer em nossa humilhação e fraqueza.

Pois quem não é contra nós é por nós (Mc 9:40).

Quanta graça! Nós nunca merecemos o favor divino, nem a sua motivação e inspiração a tantos amigos, verdadeiros irmãos, que fizeram o que se sentiram tocados a fazer. Não nos faltaram mãos estendidas e cheias de bondade, de fraternidade e genuíno amor. Diante de tanto socorro, nós nos sentimos até constrangidos por estarmos recebendo tanto...

Logo depois que saiu do CTI, Ricardo foi levado para um minúsculo apartamento. Eu havia contratado um pacote com o hospital, mas quando me deram o valor do pacote, eu fiquei tão impressionado, porque não imaginava que fosse custar tanto, que não perguntei o que continha o pacote que eles estavam me vendendo. Então, depois da cirurgia, o médico nos disse que Ricardo ficaria um dia no CTI e depois iria para a enfermaria, onde poderíamos ter um acompanhante. Mas, afinal ele fora para um apartamento simples, mas um apartamento. Ali mal cabia o Ricardo e alguns móveis. Mas para nós estava muito bem. No entanto, para Deus não estava. Menos de uma hora depois que estávamos lá, satisfeitos por estarmos com o nosso filho, o Dr. Walter entrou no quarto, viu o Ricardo e disse que nós seríamos levados para um quarto melhor. E assim fomos para um grande apartamento, onde também pudemos ficar Lourdes e eu e onde pudemos receber muitas visitas durante o dia todo. De forma que Ricardo não ficou só e nem nós, tampouco. Nossos amigos e familiares de Goiânia nos assistiram e nos manteram em nossas necessidades. Louvado seja Deus por incutir-lhes esse espírito de amor, nos dando comida, doces, refrescos, jornais, telefones celulares, veículos, dinheiro... Nós recebemos mais do que precisávamos aqui. Obrigado ao Senhor pelos seus filhos maravilhosos.

Ele, porém, querendo justificar-se, perguntou a Jesus: Quem é o meu próximo? Jesus prosseguiu, dizendo: Certo homem descia de Jerusalém para Jericó e veio a cair em mãos de salteadores, os quais, depois de tudo lhe roubarem e lhe causarem muitos ferimentos, retiraram-se, deixando-o semimorto. Casualmente, descia um sacerdote por aquele mesmo caminho e, vendo-o, passou de largo. Semelhantemente, um levita descia por aquele lugar e, vendo-o, também passou de largo. Certo samaritano, que seguia o seu caminho, passou-lhe perto e, vendo-o, compadeceu-se dele. E, chegando-se, pensou-lhe os ferimentos, aplicando-lhes óleo e vinho; e, colocando-o sobre o seu próprio animal, levou-o para uma hospedaria e tratou dele. No dia seguinte, tirou dois denários e os entregou ao hospedeiro, dizendo: Cuida deste homem, e, se alguma coisa gastares a mais, eu to indenizarei quando voltar. Qual destes três te parece ter sido o próximo do homem que caiu nas mãos dos salteadores? Respondeu-lhe o intérprete da Lei: O que usou de misericórdia para com ele. Então, lhe disse: Vai e procede tu de igual modo. (Lc 10:29-37).

Aqui em Goiânia e em alhures, tanto no Brasil, como na Argentina, na Bolívia e, possivelmente em outros países, nós fomos assistidos por cireneus e bons samaritanos. Todos quiseram participar desta maratona pela vida de Ricardo.

E agora estamos chegando ao fim. Já ultrapassamos a reta final. O competidor está cansado, ainda respira ofegante, mas dentro de instantes ele subirá ao podium e receberá a medalha de ouro por vencer essa corrida que começou no dia 24 de fevereiro de 2010, quando os sintomas se manifestaram: dor de cabeça contínua, uma leve paralisia no lado esquerdo e redução da vista direita. Hoje estamos vivendo o quadragésimo primeiro dia. Depois de amanhã, no 43º dia, Ricardo receberá sua medalha, seu passaporte para retornar à nossa casa em Poxoréu, MT, quando a vida continuará a fluir em seu ritmo normal, embora nós, nunca mais conseguiremos ser as mesmas pessoas de antes, tantas foram as bênçãos recebidas.

Durante todo esse percurso, procuramos extravasar a nossa angústia, escrevendo e publicando nos blogs ou mandando e-mails ou mesmo recados no Orkut. Sentíamos conforto quando desabafávamos e também quando recebíamos em retorno, mensagens de ânimo e de apoio.

A Palavra de Deus, mais do que nunca se cumpriu em nossa vida durante esses quarenta dias.

O SENHOR é o meu pastor; nada me faltará. Ele me faz repousar em pastos verdejantes. Leva-me para junto das águas de descanso; refrigera-me a alma. Guia-me pelas veredas da justiça por amor do seu nome. Ainda que eu ande pelo vale da sombra da morte, não temerei mal nenhum, porque tu estás comigo; o teu bordão e o teu cajado me consolam (Salmos 23:1-3).

Ao término dessa jornada registramos o nosso preito de gratidão a todos os que estiveram conosco em todas as fases pelas quais passamos. Que o Senhor nosso Deus esteja com todos, dando saúde, paz, harmonia e uma vida repleta de felicidade.

Muito obrigado.

Prof. Izaias Resplandes de Sousa
E-mail: respland@gmail.com.br
Home Page: www.respland.blogspot.com

sábado, abril 03, 2010

Ricardo sai do hospital

Ricardo e o Dr. Walter da Costa


Ricardo está de alta e estamos saindo do hospital agora de manhã. Vamos para a casa de Tia Dalva, irmã da Lourdes, onde ficaremos até sábado que vem. É provável que no domingo seguinte voltaremos para casa (daqui oito dias). Se tudo estiver bem, poderemos ir antes.

Obrigado a todos os que participaram dessa maratona e até breve. Abraços. Família Izaias Resplandes.

sexta-feira, abril 02, 2010

O morro da provisão.

Visita da Tia Maria, com o genro Sebastião e família.


Goiânia, GO, sexta-feira da paixão, 02 de abril de 2010, 19 horas

O morro da provisão.

Hoje foi um dia tranquilo no apartamento 407 do Hospital Neurológico de Goiânia. O interno Ricardo Resplandes passou bem. Alvo de nossas preocupações e angústias nos últimos dias, ele agora é motivo de nossas alegrias e agradecimentos. Hoje ele ainda teve dores de cabeça, mas foi leve e em apenas alguns momentos do dia. O Dr. Walter esteve aqui de manhã e o encontrou sentado, tomando o café da manhã. Ficou eufórico. Fez testes com o Ricardo para ver como estava o movimento dos braços, a força dos dedos... Ele está muito satisfeito com a recuperação do Ricardo. As enfermeiras disseram que ele costumava ir para Minas Gerais durante a Semana Santa. Mas, ele nos disse que não tinha chácara e nem fazenda para ir este ano e que ficaria aqui o final de semana.

Ao que tudo indica, Ricardo receberá alta amanhã de manhã. Então iremos para a casa da "Tia Dalva", irmã de Lourdes, onde ficaremos durante a próxima semana. Deveremos viajar para casa no domingo que vem.

Aqui no hospital, Ricardo comeu bem, andou pelo quarto, sentou na cadeira e até acessou o computador por alguns minutos. Tudo está voltando ao normal, graças a Deus.
Como bem lembrou o meu amigo Prof. Luís Carlos Ferreira, geo-historiador e poeta poxorense, a nossa história teria um paralelo na história de Abraão, quando ele subiu o monte da provisão para oferecer seu filho em sacrifício ao Senhor. Naquela ocasião, o Senhor não permitiu que Isaque fosse sacrificado, provendo outros meios para o sacrifício. É realmente uma história de grande coragem. Mas a semelhança com a nossa história é pequena.

É verdade que nós estávamos muito apreensivos antes da cirurgia. O médico me advertira dos riscos que estavam envolvidos na operação. Mas também nos falou das consequências da omissão. E então decidimos assumir os riscos e autorizar a cirurgia. O nosso coração estava nas mãos. Durante a operação fiquei à porta do centro cirúrgico, nervoso e preocupado. Ficamos mais aliviados quando o médico veio conversar conosco para dizer que tudo tinha corrido bem. Animamos mais ainda com as informações de nosso filho mais velho, Fernando Resplandes, que acompanhara a cirurgia dentro do centro cirúrgico. Mas a apreesão vem diminuindo a cada manhã, a cada tarde e noite. Agora temos a certeza de que Deus providenciou outro carneiro para o sacrifício e que nosso filho foi poupado.

Recebemos muitas visitas hoje. Na parte da manhã o Dr. Adauto Barbosa e sua esposa Vânia vieram nos ver. Trouxeram uma bandeja com deliciosa canjica... Conversamos. Recordamos histórias do Amapá, de Poxoréu, de Goiás... Ele me levou para conhecer a sua casa. Antes, porém, fomos até a Praça Tamandaré, onde ele comprou jornais, sorvetes do cerrado e que insistiu para que eu levasse para o quarto. Um excesso de gentileza, cortesia e hospitalidade. É muito bom ter amigos quando se está distante. Eles não deixam a gente perceber que está longe de casa. Fazem com que o “longe” seja melhor do que o “perto”.

A nossa família também não ficou ausente: Dr. João Cascalho e esposa, Adriano e Dalva, Sgto. Darcy e família, minha irmã Luísa, Tia Maria com se genro Sebastião e toda a família. Tiveram que ficar esperando na recepção, para não superlotar o quarto. Fernando (meu filho) ficou a tarde toda. E agora à noite, a Tia Dalva nos trouxe o jantar e o Dr. Adauto voltou novamente. Quem tem amigos não morre pagão. Dou nota dez para a família e amigos aqui de Goiás. Também dou a mesma nota para os filhos de Poxoréu que ligaram para nós nesse dia, dentre os quais destaco o Prof. Luís Carlos Ferreira, a Francisca do Paraguai e a minha filha Mariza, para representá-los, tantos foram. Obrigado a todos pela amizade.

No final do dia Ricardo falou ao telefone com a irmã Mariza Resplandes. A sua voz estava agradável e o seu ânimo renovado. Ele falava e sorria com entusiasmo. Já estava discutindo o corte do cabelo: se fazia um corte moicano ou se rapava a cabeça toda. Nós achamos que o melhor seria cortar baixo.

Toda essa conversa e discussão nos mostraram que o pesadelo já passou. Como já disse, outro carneiro foi suprido para o sacrifício, já estamos descendo o morro de volta para casa e o Ricardo já está mandando beijos para as meninas e abraços para os homens... Ou seja, já está sabendo o que é bom.

A paz está voltando a reinar em nossa família. Nessa noite deveremos ter um sono tranquilo e reparador. É provável que eu também venha a dormir e somente o meu ronco poderá prejudicar a qualidade do sono de Lourdes e Ricardo.

Que o Senhor esteja com todos. Abraços.

Izaias Resplandes

quinta-feira, abril 01, 2010

O quarto filho

Ricardo e a mãe no café da manhã de 01/04/2010

Goiânia, GO, 01 de abril de 2010, 16 h

Queridos irmãos...
Queridos amigos.

Ricardo dorme um sono tranquilo, que o livra das dores no corte cirúrgico. A cabeça está desinchando, mas ainda não consegue abrir o olho direito. Desde cedo, o maior problema tem sido a sua alimentação. Ele sente dificuldades de mastigar. A cabeça dói; pontadas agudas, toda vez que ele tenta comer. Insistimos como ele para que coma. Ameaçamos dizer ao médico que ele não está se alimentando, para que ele determine nutrição injetável. Então, coitado do meu filho, ele se esforça para comer alguma coisa. No café da manhã, insisti com um iogurte, só um... Ele não queria comer nada. Mas, ante a nossa exigência, ele comeu. E depois de alguns minutos, vomitou. No almoço foi a mesma coisa. Ele comeu duas colherinhas de alimento e deu vômitos. Lá se foi o resto do iogurte. Esperamos um pouco e insistimos no almoço. Então, diante da minha muagem, ele comeu mais algumas colherinhas. Bebeu meio copo de água. Ficou um pouco sentado e depois voltou para a cama. Dormiu. Na hora do lanche das três horas, ele comeu uma rosca. Comeu tudo, mas não bebeu nada. E voltou a dormir.

Durante o dia recebemos visitas de famíliares aqui de Goiânia. O Promotor de Justiça Adalto Barbosa, filho de Poxoréu, que trabalha no Estado do Amapá, também esteve nos visitando. Conversamos bastante. Também recebemos muitos telefonemas de pessoas de Poxoréu.

Aqui tem chovido bastante. Para nós, essas gotas que têm caído dos céus, são bênçãos divinas: orações respondidas, distâncias diminuídas, amizades reforçadas, solidariedade reafirmada, sensibilidade desenvolvida. A vida para nós aqui tem sido facilitada, porque muitas pessoas estão tornando isso possível. Ansiamos pelo nosso retorno ao Mato Grosso, quando esperamos trabalhar arduamente em favor de todos os que nos tem acompanhado nessa jornada em prol da vida de Ricardo. Servir com entusiasmo, na fé e na razão àqueles com os quais convivemos: eis a missão de um homem abençoado como eu. Eu já recebi muitas coisas boas nesta vida, como por exemplo o nascimento dos meus três filhos. Mas hoje eu me sinto como se tivesse ganho de Deus um quarto filho. As palavras de Dr. Walter: "eu não sei como esse menino ainda não está completamente paralisado", ditas um dia antes da cirurgia, me deram a dimensão exata da gravidade do caso. E mesmo angustiado com a possibilidade da morbidade, decidi confiar em Deus e enfrentar a cirurgia. Acreditava que Deus conduziria o processo. E foi isso que aconteceu. Apreciei a atitude humilde do médico, o qual, apesar de ser um dos expoentes da neurocirurgia no Brasil, não foi arrogante para se colocar no lugar de Deus, mas nos disse que Deus haveria de abençoar para que tudo desse certo. E é por isso que choveu gotas benditas sobre esse hospital.

É claro que a convalescença é uma fase desagradável, talvez até mais do que a cirúrgica. Mas agora, acreditamos que o perigo passou e que a recuperação total é apenas uma questão de tempo. Nossos pedidos de oração é para que Deus conceda ao Ricardo a paciência,a calma e a vontade de se restabelecer. Quando ele forçava para comer, ele dizia que ía comer para ver se se livrava do soro, pois seu braço já estava doendo de tanto soro. Fico com dó dele, mas, nesse caso, o que mais importa é que ele está comendo, está se fortalecendo, está sendo curado.

Agradeço às mensagens, aos telefonemas e às ofertas. Que Deus possa retribuir toda a generosidade de vocês.

Abraços.

Izaias Resplandes.