domingo, janeiro 16, 2011

Coronel Resplandes


A família Resplandes, também conhecida como Resplande ou Resplandi vai se firmando e consolidando a sua unidade nacional. Nós, de fato estamos ramificados em muitos troncos, espalhados por todas as regiões brasileiras, mas, de fato somos um só povo, uma só gente e temos o mesmo sangue.

Sempre estivemos presentes na história brasileira. Aqui, ali ou acolá... A presença de um Resplandes é coisa certa.

De acordo com o depoimento procedente de Pindaré-Mirim, Maranhão, da lavra do Professor, Comerciante e Técnico Agrícola Osmar Resplandes Ferreira, filho do senhor Raimundo Nonato Resplandes, o conhecido Capitão Nonato, genitor dos médicos Osmar Resplandes II e Ywkennedy Resplandes, estamos no caminho certo. Assim diz ele:


Quero aqui fortalecer todos os dados de sua pesquisa, segundo a história
tradicional, ou seja, a história verbal contada de pai para filho. Lembro muito
bem quando criança que meu pai contava-me o seguinte: toda a pessoa que tivesse
o sobrenome “RESPLANDES” pertencia a uma única família e acrescentava dizendo
que o primeiro Resplandes a chegar no Brasil foi o coronel Resplandes e que o
mesmo era francês, alvo e de olho azuis e que por motivo de constantes guerras
resolveu vir para o Brasil onde deu origem a todos os Resplandes [daqui].
Segundo a avó de meu pai, não se sabe qual o nome completo dele e nem a data em
que chegou no Brasil. O que ela sabe é o que os seus próprios avós só sabiam
dizer, que o ancestral ficou gravado na história verbal como “Coronel
Resplandes”, tornando-se um marco histórico da família Resplandes no Brasil.

Osmar acredita que a informação canalizada pela tradição está de acordo com os relatos da existência de Resplandes desde 1714 no estado do Ceará, e da existência dos mesmos na Europa, principalmente na Espanha e na França. Para ele a nossa linha de pesquisa se coaduna muito bem com a história contada pelo Capitão Nonato, seu pai. Portanto, também compartilha do nosso entendimento de que todas as pessoas que tenham sobrenome “RESPLANDI, RESPLANDE ou RESPLANDES” são membros da única família Resplandes do Brasil.

Para Osmar Resplandes Ferreira, não resta dúvida de que “a árvore genealógica do família Resplandes originou-se na Espanha, estendendo-se para a França e, posteriormente, para o Brasil e demais partes do mundo”, pois assim apontam as evidências.

Osmar também relata a sua indignação em relação à mudança na denominação do Município de Resplandes para Fernando Falcão, em um completo desrespeito à memória de Manoel Resplandes de Araújo e seus descendentes, os quais deram origem à comunidade de Jenipapo dos Resplandes, construindo passo a passo a história e o desenvolvimento dessa unidade federativa. Em seu entendimento, que compartilhamos, a política maranhense se apropriou do trabalho da família Resplandes para homenagear o deputado, o que, com certeza só pode causar muita revolta e indignação ao clã dos Resplandes.

JENIPAPO DOS RESPLANDES

Osmar Resplandes Ferreira relembra a trajetória de nosso ancestral, o destemido cidadão Manoel Resplandes de Araújo, em Jenipapo dos Resplandes, quando, em abril de 1832, iniciou a ocupação das terras que mais tarde seria Janipapo dos Resplandes.
Em 1835, fundador do lugar, Manoel Resplandes de Araújo conseguiu aforar as terras do lugar, conforme registros no Cartório de Barra do Corda/MA, com o nome Jenipapo dos Resplandes, o qual, através da Lei Estadual nº 269, de 31/12/1948, foi elevado à condição de Distrito com o nome de RESPLANDES, conforme registravam, para orgulho da família, todas as pesquisas realizadas até 1994, haja vista que tal fato se constituía em uma homenagem à mesma.

Posteriormente, indo na contramão da história que registrava os 162 anos de posse da família Resplandes, ou que seja os 159 anos de direito (conforme o registro feito em Cartório), bem como os 46 anos do distrito RESPLANDES, sem a realização de qualquer plebiscito, em 10/01/1994 a Assembléia Legislativa do Maranhão, maculou a conquista de fato e de direito, através da ocupação, do registro em Cartório e da Lei Estadual nº 269 e, porque não dizer, das lutas travadas pelos HEROIS e DESBRAVADORES “RESPLANDES” e grandes RESPLANDESCENTES da agricultura e pecuária daquela região.

Para Osmar, Fernando Falcão é apenas um pseudônimo do verdadeiro nome do Município de RESPLANDES. Nisso comungamos, convocando todos os membros dessa família para que cerrem fileiras, a fim de que possamos reverter essa injustiça legislativa e voltar a ter neste Município o glorioso nome de nossa família.

Uma vez Resplandes, sempre Resplandes.

4 comentários:

Anônimo disse...

Meu parente historiador Izaias Resplandes,

Sabendo do seu interesse historiógrafo sobre estudo minucioso e sistemático, com o fim de descobrir fatos relativos ao conhecimento da família Resplandes.

Em 1922 o jovem Antonio Resplandes emigrou de Barra do Corda para a cidade metrópole do Maranhão, onde existia uma fábrica de Tecido “Caxias do Maranhão”, onde pretendia crescer e desenvolver-se, sonho de todo jovem.

Não havia carro e nem estrada, seria viagem a pé, nas veredas ou trilhas, chegando em Caxias, arranchou (palavra da época) hospedou na casa do senhor José da Costa Quintanilha.

Voltando de Caxias, existia um trem que fazia linha de Teresina, Capital do Piauí, a São Luis, Capital do Maranhão.

Antonio Resplandes, pegou o trem em Caxias, até a cidade de Codó-MA.
Posteriormente segue a pé para a cidade natal, Barra do Corda.

E escreveu os seguintes versos:

I
Sai de Barra do Corda
Minha cidade natal
Rompendo matas e lamas
Doente passando mal
Em procura de Caxias
Onde cheguei afinal.

II
Sessenta léguas venci
Entre lamas e matagal
O dinheiro pouco, acabou
Aumentou o passa mal
Afinal achei emprego
Aqui na Industrial.

III
Quando cheguei em Caxias
Não restava mais dinheiro
Sofrendo sem ter alívio
A ponto de desespero
Botei minha confiança
Em nosso deus verdadeiro.

IV
Saí para Estação
Aonde se compra passagem
Com destino a Codó
Apreciando as estradas
Cobertas de Mororó
Para quem viaja de pé
Nunca vi coisa melhor.

Osmar Resplandes Ferreira

Pindaré Mirim, 04 de fevereiro de 2011.

Anônimo disse...

Procuro Saú Resplande Campos, ele também é do Maranhão e não o vejo a mais de trinta anos, na verdade não sei se ainda é vivo, porém, na época ele já tinha um casal de filhos. Qualquer informação eviar para mmausantana@gmail.com

- Aylton M' disse...

Olá, Boa noite, me interessei muito pela história da minha família e também concordo que seja uma injustiça mudar o nome da cidade. Eu, Ailton Moreira Resplandes, filho de Natal Resplandes, o qual nascera no Jenipapo dos Resplandes, planejo juntar forças para que possamos resgatar a história da nossa família. Sou estudante de Direito da Universidade Federal de Ouro Preto, Minas Gerais.

Marlucia Resplande disse...

EU MARLUCIA RESPLANDE FILHA DE ANTÔNIO RESPLANDE, TAMBÉM ACHOU UMA INJUSTIÇA MUDAR O NOME DA CIDADE. SOMOS DE BARRA DO GARÇAS MT.