segunda-feira, março 13, 2006

A maioridade upenina

Izaias Resplandes

União Poxorense de Escritores: A entidade completa em 2006, 18 anos de sua fundação. Atinge a idade legal da maioridade. Muita coisa boa aconteceu durantes esses anos, dentre as quais podemos destacar a publicação de duas edições especiais da revista "A UPENINA", diversas edições do jornal "O UPENINO", além dos livros. "Poxoréo e o Garças", do upenino Jurandir da Crux Xavier; "Poxoréo: Um olhar sobre os Distritos", do upenino Gaudêncio Filho Rosa de Amorim; "Raios Misturados", da upenina Zenaide Farias Pinto; "Antologia Poética Upenina", obra coletiva dos upeninos, coordenada por Gaudêncio Amorim; "Pegadas de Longe", do upenino Luiz Carlos Ferreira; "No meio das pedras há diamantes", do upenino Joaquim Moreira.
É evidente que são muitos os nossos sonhos e que não temos condições de realizá-los todos, mas o mais importante de tudo é que não deixamos de sonhar. Continuamos acreditando que sempre será possível melhorar o nosso Meio Ambiente Cultural, apesar das dificuldades. Por pensar assim, continuamos investindo em novos projetos de livros, revistas, jornais, tertúlias e recitais de poesia, além da programa radiofônico "Momento de Arte e Cultura" que continua sendo transmitido pela Rádio Sul Mato-grossense desde que a mesma era a Rádio Cultura de Poxoréo. São 18 anos de programação, levando uma hora semanal de reflexão sobre a cultura poxoreana.
Toda a atividade cultural que temos desenvolvido ao longo desses 18 anos representa a nossa vontade de melhorar a qualidade de vida e o bem-estar do povo de Poxoréu. Entendemos que essa é uma responsabilidade de todos e estamos fazendo a nossa parte. Podemos perguntar com orgulho: quantas publicações foram feitas na história de Poxoréu antes da União de Escritores? Que registros históricos e literários havia? E depois da UPE, como ficou essa questão?
Hoje Poxoréu tem uma memória histórica e cultural sendo registrada dia-a-dia pelos upeninos. Esse será o nosso legado para as presentes e futuras gerações.
Por outro lado, temos aprendido que quanto mais uma pessoa produz, mais se exige dela. Estamos certos de que a sociedade poxoreana vai exigir cada vez mais de nós e estamos prontos para corresponder a essas expectativas, pois não colocamos as mãos no arado para recuarmos diante dos desafios. Por isso, temos certeza de que agora estamos muito mais aptos e maduros para desfraldar a bandeira upenina "em defesa da arte e da cultura", do que estávamos há 18 anos atrás. Não atemos nenhuma dúvida de que o trabalho upenino daqui para frente será também muito mais aprimorado e de melhor qualidade do que tem sido até hoje.
Acreditamos também que já demonstramos que nossa idéia de União de Escritores não era um fogo de palha, mas algo permanente. Diante disso, esperamos que toda a nossa comunidade receba essa dádiva de seus filhos que têm se notabilizado pelo talento na arte de escrever; que vejam a UPE como um patrimônio de Poxoréu e que possam dar o devido apoio às suas iniciativas em prol dessa terra. Esse é o nosso desejo e o nosso maior sonho.
Parabéns a todos pelos 18 anos de vida upenina.

2 comentários:

Luiz Roberto Lins Almeida disse...

parabéns. é mto tempo! embora seja só um início para cultura e história locais.

Prof. Izaias Resplandes disse...

Sabe, Beto... Apesar de sermos o que somos também por conta de nossa herança cultural, há quem pense que existem outras formas melhores de investir os nossos recursos, sejam de que natureza for. Dessarte, sobra muito pouco para investir na base, nos fundamentos, naquilo que realmente sustenta o homem. Talvez por isso tenhamos tanta volatilidade, tanta indecisão, tanta mudança de idéia... Tenho certeza de que umdia seremos maiores, quando valorizarmos o que nós produzimos. Pergunto ao povo, não a você: quantos livros lemos por ano, quantos compramos, quantos escrevemos? Sei que as respostas dirão: poucos, alguns, nenhum. Normalmente é assim com as coisas da cultura. Mas, apesar... Fico feliz por termos ousado começar e por termos continuado, mesmo que a passos de tartaruga. Abraços.