terça-feira, março 20, 2012

O povo foi à Feira do Produtor

Que bom que a feira foi inaugurada. Além de ser sinônimo de organização, atendendo ao comando positivista de "Ordem e Progresso" estampado na Bandeira Brasileira, a nova Feira é um ponto de encontro para os poxorenses. Sem o compromisso da pressa que caracteriza o corre-corre quotidiano por conta das inúmeras atividades dos trabalhadores, sábado é dia de ir à feira para bater papo, comer pastel frito na hora, comprar uma verdura fresquinha, uma mandioquinha arrancada no dia e etc.

Muita gente boa foi à feira no dia da inauguração e encheram as sacolas. Eu também fui e tive o prazer de cumprimentar os amigos que lá encontrei como o seu Antônio do IBGE e o Adilson Bióis, o prof. Kempp, o prof. Antônio Lélis, o Dr. Benjamim, meu irmão Waldomiro Resplandes (que tanto gosta de comprar como também gosta de vender na feira). Encontrei a Sinelúcia, a profª Elenir, a Luiza do Adolfo Catalá, as irmãs Selma e Sandra Morais (eu não as conhecia, mas era bem conhecido delas - pelos blogs). Muito simpáticas... Elas me foram apresentadas pelo Engº Djalma do Trajano, meu velho amigo "Pelebreu", que também estava por lá. Seu Lourenço apareceu com uma carriola de mandioca boa "pra cozinhar". Também encontrei o seu Francisco Dorilêo, sempre muito carismático e bem disposto. Esse companheiro é um exemplo de vida e de luta para todos nós que vivemos nesta urbe poxoreana. Também estavam na feira a profª Eliane do Pedro Sapateiro e o seu esposo.
 Os empresários Sidália e Elias
 O prefeito Ronan Figueiredo (ao centro). CaboÉlio (abaixo).
 Seu Tilú, Lélis, Izaias Resplandes e José Celso
 Ajax Gomes, Pe. Ademar e José Celso
 Professoras Elisabete e Eunice
 A poetisa Laudelina Magalhães da Silva, do SESC/LER de Poxoréu
 O acadêmico de Direito Denisvaldo Bulhões
 Acima: Lindinalva e Deusalina. Abaixo: as irmãs Sena e as irmãs Moraes.

A feira é um ótimo lugar para que a gente possa se encontrar. Se você não veio no sábado passado, venha no sábado vindouro. Vamos degustar um pastelzinho, tomar uma garapa de cana e bater papo. Sugiro que se convide o pessoal da capoeira e do karatê para fazer apresentações no lugar, já que há bastante espaço.
É isso aí. Um abraço para todo mundo.

2 comentários:

Juscelino Fernandes disse...

Professor meu pai o Sr. Preto, esteve na feira de adorou, acho muito bonito e ótimo o local e ambiente. Juscelino

Prof. Izaias Resplandes disse...

Pois é, Juscelino. Ainda hoje eu comentava sobre a feira. Ela está cada dia melhor, o povo está vindo mais à feira, o produtor também. E é como eu disse antes: a feira é um bom lugar para a gente se encontrar. Estou lamentando estar estudando aos sábados de manhã, porque sou apaixonado por feiras. Gosto de andar para lá e para cá, sentir os aromas, encher os olhos com as cores das frutas, dos legumes e das pessoas que enfeitam as feiras com suas presenças. Obrigado pela leitura e pelo feed back. Abraços a você e ao seu pai.