sábado, maio 29, 2010

O Sorvete

"A nossa racionalidade deve ser capaz de nos diferenciar dos demais animais".


No dia em que completei 52 anos, minha mãe me trouxe um pote de sorvete como presente de aniversário.
– Olhe, eu estava meio sem dinheiro, então eu trouxe esse pote de sorvete para vocês fazerem a festa! – disse-me ela.
– Ah, mãe, não precisava. Obrigado! – falei. Vamos colocar no freezer e no domingo a gente come. Obrigado!
E o pote de sorvete foi parar no congelador.
E então chega o fim de semana. Dona Lourdes então proclama logo após o almoço:
– Ah, acho que vamos ter de fazer um sacrifício e comer o sorvete da Dona Maria.
Foi a palavra mágica. O Ricardo que já estava ligando o computador para navegar pela internet, conseguiu captar a mensagem e veio rápido para a cozinha.
– Viva! Se é para fazer esse sacrifício, estou pronto!
Então seo Izaias, todo cheio de filosofia, solta a cobra:
– A nossa racionalidade deve ser capaz de nos diferenciar dos demais animais.
– Ótimo! Então vamos ao sorvete, porque nunca vi um cachorro tomando sorvete. O senhor já viu, pai? – exclama o Ricardo.
– Não! – tive que concordar. Então vamos fazer esse sacrifício.
E aí começou a festa do sorvete, que por sinal estava delicioso. Qualquer hora dessas, a gente quebra a dieta e faz outro sacrifício, porque a festa do sorvete foi muito gostosa.
– Parabéns pela idéia, dona Maria. No ano que vem eu faço 53 anos!

Izaias Resplandes, 29 de maio de 2010.

Um comentário:

Fernando disse...

vou tomar um sorvete de cá tb para ajuda-los nesse sacrificio!
te amo pai! felicidades