domingo, fevereiro 15, 2009

A escrita de amor


Escrevemos para sermos lidos. Nada serviria, por mais belos e bem produzidos que fossem os textos, se eles ficassem ocultos em nossos mundinhos. A crítica, seja ela qual for, tem o condão de nos estimular à perfeição, à melhora daquilo que produzimos. Deus, o grande construtor do Universo, nos deu um talento para administrar. Não devemos escondê-lo, não somente pela esperança de alguma recompensa pelo trabalho realizado (mas de certa forma também por isso), mas principalmente pela oportunidade de expressar um pouco do nosso amor pela humanidade e pela criação de nosso Pai que está nos céus. O nosso ato de escrever é uma forma de extravasar o nosso amor pelos demais. Quem ama, escreve e publica, sem receio da crítica. Eu escrevo e publico, porque eu te amo, sem saber quem você seja, apenas porque você é uma das criaturas maravilhosas do Deus que me amou sobremaneira, quando me deu Seu único filho para me salvar e sua Palavra Escrita para me guiar.

2 comentários:

jeo disse...

Isaias, já acessei este espaço diversas vezes. O blog é bem montado e os textos retratam sua capacidade intelectual, sempre destacando o que há de mais especial nesta vida - a família. Parabéns. Gostaria de saber que fruta é essa que aparece nesta foto? Sinceramente, não conheço.

Prof. Izaias Resplandes disse...

Olá... Obrigado pelo acesso ao blog. Fico feliz de podermos compartilhar dos mesmos valores sobre a família. Ela, realmente, é o que de mais importante existe em nossa vida. A fruta da foto é um figo. A árvore é uma variação da figueira. Não é apreciada ao nosso paladar, mas os animais silvestres costumam comê-la. É uma das árvores que decoram o Balneário Águas Claras às margens do Rio das Mortes, em Primavera do Leste.
Grande abraço.
Izaias Resplandes