terça-feira, fevereiro 23, 2010

O candieiro

Carro de bois. São Luís dos Montes Belos, GO


O CANDIEIRO

Viveu na roça menino
No sertão de Mato Grosso
Filho de Marcelino
Bom carreiro desde moço.

Era o candieiro Izaias
Que à frente dos bois de guias
Gritava com forte brado:
Vem cá Sombreiro! Vem cá Sobrado!

E pelo sertão afora, o carro-de-bois cantava
Sob o peso de sua carga, que lado a lado levava.
E o carreiro e o candieiro, de breve em breve embalava:
Vai Sombreiro! Vem cá Sobrado!

O carreiro Marcelino, cantarolando animado
Falava com os bois da guia,
Caminhando pelo lado
Vai Sombreiro! Vai Sobrado!

E no embalo da cantoria,
As juntas de bois puxavam
A riqueza do Brasil que então se produzia.
Vai Sombreiro! Vai Sobrado!

Também nos tempos de festa, o carreiro era chamado.
Enchia o carro de gente, que vinha de todo lado
E então lá praquelas bandas, só se ouvia esse brado:
Vai Sombreiro! Vai Sobrado!



Nenhum comentário: