terça-feira, maio 08, 2007

Nosso gentílico, nosso topônimo: Poxoreense, Poxorense e Poxoreano


João Batista de Araújo Barbosa (Batistão)



A professora Eliane Carvalho, hoje prestando seus serviços em Sinop, norte do estado, questiona a forma correta do nosso gentílico (o natural ou habitante de Poxoréo). Segundo o IBGE e o dicionário do Aurélio Buarque de Holanda o nosso gentílico seria poxorense ou poxoreano. Ocorre que a maioria do povo de Poxoréo refere ao nosso gentílico como "poxoreense".

Até 1985 era pacífica essa grafia, em pleno acordo com a nossa tradicional maneira de falar, conforme pesquisa aos jornais editados anteriormente.

A controvérsia surgiu quando o professor Izaias Resplandes, então redator do Correio de Poxoréo, reeditado em uns dois anos na administração do prefeito Lindberg Rocha (1982/1988) me fez esse questionamento por volta de 1984 e a ele respondi conforme acima. A partir daí, Resplandes passou a escrever "poxorense", forma essa que grafou o nome da “UPE - União Poxorense de Escritores”, da qual foi fundador e primeiro presidente.

Para o escritor Luis Carlos Ferreira, poeta também fundador da UPE, trata-se de substantivo e adjetivo de dois gêneros, o gentílico, sinônimo de poxoreano que Dicionário Aurélio, designa quem é "de ou pertencente ou relativo a Poxoréu (MT); natural ou habitante de Poxoréu". Quanto à "poxoreense"... isso é apenas força de expressão lingüística dogmática, sem quaisquer sustentações que fundamente o termo. Entretanto, carinhosamente aceita, por tradição, ou seja, transmissão provinda de gerações em gerações.De forma que dizer "poxorense", ou "poxoreano", ou, ainda, "poxoreense" está se referindo a quem é nascido em Poxoréu, ou que está vivendo no município e cidade de mesmo nome, conclui Ferreira.

O professor Antônio Carlos Messias Pereira acompanha o entendimento dos escritores upeninos Izaias e Luis Carlos e acrescenta que por questão de regra gramatical o gentílico correto seria poxorense, na forma indicada pelo mestre Aurélio.

Evidentemente, com o Aurélio Buarque e os escritores da UPE à frente, pela norma culta diz-se "poxorense" ou "poxoreano".

Na placa de ampliação do Fórum da Comarca de Poxoréo está grafado "poxoreense". Eu e minha família falamos "poxoreense" e assim escrevemos quando referimos ao nosso gentílico, acompanhando a tradição da maioria dos moradores do município. O historiador Suelme "Biela" Fernandes, o jornalista Nides de Freitas, os advogados Ruy Nogueira Barbosa e Juscilene Souza (Cila), o ex-vereador e pioneiro José Moraes Barbosa, o professor Reinaldo Bispo, e muitos outros, também falam "poxoreense".

Quanto ao topônimo, há quase dois anos Câmara Municipal aprovou irregularmente a Lei Ordinária nº 976, de 25 de maio de 2005, com a pretensão de retornar o nome do município de POXORÉO para POXORÉU. Acontece que a lei maior de um município é sua Lei Orgânica. A nossa Lei Orgânica não foi alterada. Não sendo alterado o topônimo na lei maior, não se fala em mudança do nome do município. Assim, acompanhamos a LEI ORGÂNICA DO MUNICÍPIO DE POXORÉO, para continuarmos com essa grafia para o topônimo de nossa terra natal.!

Eis aí mais dois mistérios da nossa contradição!


Nenhum comentário: